Bushido – O Caminho do Guerreiro Samurai

O Bushido (bushi = guerreiro, do = caminho), o código de honra e ética do guerreiro samurai, despertou o interesse de muita gente, em 2004, sobretudo, com o lançamento do filme “O Último Samurai” que mostra o astro Tom Cruise no papel de um militar americano cuja vida muda ao conhecer os samurais e o Bushido.

BUSHIDO (武士道; 武士 = Guerreiro, 道 = Caminho): “O Caminho do Guerreiro” era o código de honra e ética dos samurais.

O Bushido surgiu e se consolidou juntamente com a história dos samurais, durante os períodos Heian a Tokugawa. As principais virtudes do Bushido são Justiça (GI), Coragem (YUU), Benevolência (JIN), Educação (REI), Sinceridade (MAKOTO), Honra (MEIYO) e Lealdade (CHUUGI). É natural, em um tempo e sociedade tão carentes de valores como estes no qual vivemos, que o Bushido chame a atenção. Seus valores atemporais trazem uma clara noção entre certo e errado, acrescentando mais importância e ideal à vida das pessoas.

Sua origem está ligada fundamentalmente ao Budismo, ao Xintoísmo e ao Confucionismo. Do Budismo, o Bushido herdou a coragem ao se encarar a morte e o desapego pelas questões materiais. Do Confucionismo vem a lealdade ao senhor feudal, a relação com a sociedade e a importância do nome da família. Dentro do Bushido, as linhas gerais que regem as mais variadas relações entre as pessoas, por exemplo, Mestre e Discípulo, Sempai e Kohai, pai e filho, irmão mais velho e mais novo, marido e mulher também possuem raízes no Confucionismo. Do Shintoismo trouxe o respeito para com a terra, com o feudo e a estima pela essência, o espírito, que há em tudo, desde as pessoas aos lugares, as espadas e os demais utensílios dos samurais.

Para o Samurai era preferível a morte à desonra. A desonra era uma mancha que marcava toda a família. Esta era uma vergonha que nenhum samurai conseguia suportar.

HagakureHagakure (“Escondido pelas Folhas” ou “Folhas Escondidas” ou “Folhas Ocultas” 葉隱 ou 葉隠): O Livro do Samurai de Tsunetomo Yamamoto (山本常朝).

Uma das obras mais importantes sobre o Bushido é o Hagakure – “Folhas Ocultas” – escrito por Yamamoto Tsunetomo, um samurai da província de Saga, no Século XVII. A aceitação resoluta da morte fica clara no trecho: “O Bushido implica em escolher sempre a morte quando houver a possibilidade de escolha entre viver e morrer”

O grande samurai Miyamoto Musashi Sensei (宮本 武蔵) (1584-1645), inspirador do Instituto Niten e fundador do estilo praticado na entidade, escreveu em sua obra, o Livro dos Cinco Anéis (Gorin No Sho – 五輪書): “O Caminho do Guerreiro é a aceitação resoluta da morte“. Isto resume o sentimento do samurai em relação ao Bushido. A vida tem um valor imensurável, porém mesmo esta é deixada de lado em face de valores ainda maiores. 

fonte: http://www.niten.org.br/penaespada/penaartigos/bushido2.htm

Obrigada Claúdio Ayabe!

Queridos amigos,

Abaixo está a resposta de um email enviado ontem e uma boa reflexão também.

O Claúdio é um ser que trabalha arduamente para melhorar as pessoas. É em suas palavras e ações que busco forças quando lembro do seu jargão: “TAMO JUNTOS ATÉ O TOPO!”, ou seja, isso basta. Apenas essas palavras, nos fazem repensar, nos fazem emergir do fundo do poço e nos fazem seguir adiante.

Não esqueçam: TAMO JUNTOS ATÉ O TOPO e podemos contar uns com os outros sempre. Eu acredito nisso!

Abraço fraterno e boa semana a todos.              Abração Claúdiooooooo…

Silvia Rita

* * *

Silvia-san, bom dia!
 
Muito obrigado mesmo!
 
Reflexão:
 
Nos dias atuais, o grito da ecologia é: respeite a natureza!
 
O cuidado com a ecologia finalmente está sendo ouvido. As pessoas estão cada vez mais prestando atenção ao que está acontecendo ao meio ambiente, aos animais em extinção, às florestas.
 
Meu grito, nos meus cursos e palestras é: precisamos começar urgente uma ecologia humana – o mundo moderno está destruindo, cada vez mais, o que é humano nas pessoas humanas.
 
Precisamos preservar a natureza e os animais, sem dúvida, mas não podemos deixar de preservar os valores e a dignidade humana.
 
Então, amiga Silvia, tenho dedicado muito para que cada um consiga ser o que ser: pessoa.
 
Muitos conseguem ser médico, professor, engenheiro, pai, executivo, mas não conseguem o que é mais fundamental na vida – ser eles mesmos!
 
Pense nisso!
 
Mais uma vez, obrigado, espero revê-la em breve.
 
Vá além, sempre!
 
Cláudio Ayabe 
 
 www.ayabe.com.br

Gambaru

Pessoal,

Tenho percebido uma procura pelo assunto Samurai e por isso,  vou criar esse assunto e postar a respeito. É muito interessante.

Abaixo seguem informações sobre um livro que li, inclusive, estive no lançamento em 2008. Vejam abaixo:

18/01/2008 Livraria Saraiva – Shopping Pátio Paulista

Conheça o Cláudio

Filho de imigrantes japoneses da região de Kyoto, Claúdio Ayabe nasceu em 1961, em Maringá (PR). Dos 16 aos 20 anos, foi bancário. Aos 21 anos, descobriu uma de suas grandes paixões: o trabalho na área de vendas. Atuou nesse segmento por vários anos, destacando-se como supervisor e gerente nos ramos de alimentos, materiais de limpeza e serviços.

Graduou-se em Ciências Sociais e Jurídicas e obteve título de pós-graduação em Direito. Desenvolveu também estudos na área de Neurolinguística. Hoje, é pesquisador ativo nas áreas de Sociologia, Liderança, Vendas, Comportamento e Relações humanas.

Profissionalmente, tem como atividade principal a direção de uma empresa no ramo de Seguros. Em paralelo, atua como consultor corporativo, familiar e pessoal. Desde 1.998, destaca-se como facilitador de treinamentos e cursos em liderança, motivação e desenvolvimento profissional.

O Código de Honra dos Samurais é seu principal guia de vida. Entretanto, boa parte de seu conhecimento foi adquirido empiricamente, no cotidiano de empresas como Bradesco, Seven Boys e Hocthief do Brasil, nas quais atuou por vários anos.

Ao vivenciar diversas experiências, Ayabe aprendeu sobre as singularidades do complexo universo corporativo nos tempos de globalização. Esse saber prático sobre a realidade propiciou-lhe o reconhecimento das virtudes e vulnerabilidades dos trabalhadores brasileiros. Seus seminários e treinamentos diferenciados são, portanto, capazes de reordenar e dinamizar os sistemas produtivos. Excelente comunicador, contribui para que os profissionais modernos alcancem prosperidade e a tão sonhada qualidade de vida.

Livro publicado Gambaru – O Poder do Esforço e da Perseverança

A chamada literatura corporativa motivacional parece ter alcançado um ponto de exaustão. Em termos de conteúdo, repetem-se as velhas fórmulas de uma fantasiosa busca da prosperidade. Em termos formais, reprisam-se os clichês do chamado “psicologismo de botequim”.

Em Gambaru – O Poder do Esforço e da Perseverança, entretanto, o empresário e consultor Claudio Ayabe inova o gênero. Num misto de ficção e realidade, num texto original e cativante, a obra trata de sexo, drogas, exclusão social, amor, paixão, preconceito, ética, solidariedade e desenvolvimento profissional. O livro prende o leitor desde a primeira página, numa trama de tirar o fôlego.

Num fiel retrato da periferia paulistana, Ayabe desnuda o universo do crime e do vício entre os jovens. O iráscivel Juca tem sua história radicalmente alterada quando cruza seu destino com o de um intrigante sábio japonês. Sasaki conhece tudo de liderança corporativa, organização do trabalho e comunicação virtual, mas fundamenta todos os seus atualizadíssimos ensinamentos no Bushido, o antigo código dos samurais. Esse encontro mudará sua vida e das muitas pessoas com as quais se relacionam.

Gambaru não é um livro comum. É, antes, o resultado da observação aguçada da vida na grande cidade e da revalorização do código de conduta dos guerreiros japoneses.

fonte: http://nikkeypedia.org.br/index.php/Claudio_Ayabe

%d blogueiros gostam disto: