Namorado

Feliz Dia dos Namorados, meu bem!!!

Agradecimentos – Dia dos Namorados

Queridos irmãos do MI,

Agradeço a participação na última reunião e evento Dia dos Namorados. Foi muito legal!

Abaixo, algumas fotos:

Abaixo o quadro com EU TE AMO em vários idiomas:

Espanhol Te amo
Espanhol Te quiero
Francês Je t’aime
Inglês I love you
Italiano ti amo
Alemão Ich liebe Dich
Grego S’ayapo
Japonês Chuu shiteyo
Latim Te amo
Africano Ek is lief vir jou
Português (Brasil) Eu te amo

Agora, uma das lembranças:

Amor conjugal

O grande rei dos persas, Ciro, durante uma de suas campanhas
guerreiras, dominou o exército da Líbia e aprisionou um príncipe.

Levado à presença do conquistador ajoelhou-se perante ele o
príncipe, e assim também os seus filhos e sua esposa. Os soldados
vencedores, os generais da batalha, ministros e toda uma corte se
juntou para tomar conhecimento da sentença real.

O rei persa coçou o queixo, olhou longamente para aquela família à
sua frente, à espera de sua decisão e perguntou ao nobre pai de
família:

Se eu te disser que te concederei a liberdade, o que poderias me
oferecer em troca?

Rapidamente respondeu o prisioneiro:

Metade do meu reino.

Ciro continuou, paciente, a interrogar:

E se eu te oferecer a liberdade dos teus filhos, que me darás?

Ainda rápido, tornou a responder: A outra metade do meu reino.

Calmo, o conquistador lhe lançou a terceira pergunta:

E o que me darás, então, em troca da vida de tua esposa?

O príncipe sentiu o coração pulsar rapidamente no peito, parecendo
arrebentar a musculatura. O sangue lhe subiu ao rosto, as pernas
fraquejaram.

Reconhecia que, no anseio da liberdade dos seus, tinha oferecido
tudo, sem se recordar da companheira de tantos anos, sua esposa e
mãe dos seus filhos.

Foi só um momento mas, para todos, pareceu uma eternidade. Um
sussurro crescente tomou conta do ambiente, pois cada qual ficou a
imaginar o que faria agora o vencido.

Após aquele momento fugaz, ele tornou a erguer a cabeça e com voz
firme, clara, que ressoou em todo o salão, disse:

Alteza, entrego a mim mesmo pela liberdade de minha esposa.

O grande rei ficou surpreso com a resposta e decidiu conceder a
liberdade para toda a família.

De retorno para casa, o príncipe tomou da mão da esposa, beijou-a
com carinho e lhe perguntou se ela havia observado como era serena e
altiva a fisionomia do monarca persa.

Não, disse ela. Não observei. Durante todo o tempo os meus olhos
ficaram fixos naquele que estava disposto a dar a sua própria vida
pela minha liberdade.

* * *

Para quem ama, não há limites na doação. Quando dois seres se
amam verdadeiramente dão origem a outras vidas e as alimentam,
enquanto eles mesmos um ao outro sustentam, na jornada dos dissabores
e das lutas.

O amor conjugal é, dentre as formas de amor, um dos exercícios do
amor que requer respeito, paciência e dedicação. Solidifica-se
através dos anos. E tanto mais se aprofunda quanto mais intensas se
fazem as lutas e as conquistas de vitórias.

Para os que se amam profundamente não há lutas impossíveis, não
existem batalhas que não possam ser vencidas.

* * *

Em todos os departamentos do Universo existe a mensagem do amor, que
é o estágio mais elevado do sentimento.

O homem somente atinge a plenitude quando ama. Enquanto procura ser
amado, sofre infância emocional.

Por isso, o importante é amar, mesmo que não se receba a recíproca
do ser amado. O que é essencial é amar, sem solicitação.

Chuu shiteyo

Ingredientes

  • 400g de chocolate ao leite em barra
  • 100g de chocolate meio-amargo
  • 1 lata de creme de leite light
  • 1 cálice de licor de Amarula
  • frutas picadas ( banana, morango, kiwi )
  • marshmallow

Modo de Preparo

  • Derreta no microondas o chocolate, colocando num recepiente de vidro, próprio para microondas.
     
  • Deixe em potência alta por 1 minuto, retire e veja se dá para mexer o chocolate até ficar bem derretido.
     
  • Caso não dê, leve ao microondas por mais 30 segundos, vá repetindo o procedimento até que o chocolete derreta.
     
  • Leve ao fogo médio ( do fogão) o chocolate e misture o licor e o creme de leite.
     
  • Mexa até ficar com uma consistência cremosa.
     
  • O importante é mexer sempre para não empelotar.
     
  • Quando estiver pronto é só levar para o richaud e servir-se, espetando as frutas e molhando na mistura.

Ti amo

Eternos namorados do MI,

É com alegria que encerro a semana com as mensagens específicas para o grande dia de amanhã: o Dia dos Namorados.

As imagens nos inspiram a sensações vividas em nosso tempo de juventude, porém, nunca é tarde para acendermos a chama do amor, não é?

Espero todos amanhã na reunião, onde poderão passar momentos felizes e inesquecíveis; onde poderão aprender a famosa frase “EU TE AMO” em diversos idiomas (como puderam perceber ao longo da semana) e também poderão receber as lembranças que preparamos.

Amorosamente,

Silvia Rita

Te amo não por quem tu és, mas por quem sou quando estou contigo.

Gabriel Márquez

Ek is lief vir jou

 

Cartas de amor são escritas não para dar notícias, não para contar nada, mas para que mãos separadas se toquem ao tocarem a mesma folha de papel.
Rubens Alves

Ich liebe Dich

 

Quem não tem namorado é alguém que tirou férias remuneradas de si mesmo.
Namorado é a mais difícil das conquistas. Difícil porque namoro de verdade é
muito raro. Necessita de adivinhação, de pele, de saliva, lágrima, nuvem,
quindim, brisa ou filosofia.
Paquera, gabiru, flerte, caso, transa, envolvimento, até paixão é fácil.
Mas, namorado, mesmo, é muito difícil. Namorado não precisa ser o mais bonito,
mas aquele a quem se quer proteger e quando se chega ao lado dele a gente
treme, sua frio e quase desmaia pedindo proteção. A proteção dele não precisa
ser parruda, decidida ou bandoleira: basta um olhar de compreensão ou mesmo de
aflição. Quem não tem namorado, não é que não tem um amor: é quem não sabe o
gosto de namorar. Se você tem pretendentes, dois paqueras, um envolvimento e
dois amantes, mesmo assim pode não ter um namorado.
Não tem namorado quem não sabe o gosto da chuva, cinema, sessão das duas,
medo do pai, sanduíche de padaria ou drible no trabalho. Não tem namorado quem
transa sem carinho, quem se acaricia sem vontade de virar sorvete ou lagartixa
é quem ama sem alegria. Não tem namorado quem faz pacto de amor apenas com a
infelicidade. Namorar é fazer pactos com a felicidade ainda que rápida, escondida,
fugida ou impossível de durar.
Não tem namorado quem não sabe o valor de mãos dadas: de carinho escondido na
hora em que passa o filme: de flor catada no muro e entregue de repente, de poesia
de Fernando Pessoa, Vinícius de Moraes ou Chico Buarque lida bem devagar, de
gargalhada quando fala junto ou descobre a meia rasgada; de ânsia enorme de viajar
junto para a Escócia ou mesmo de metrô, bonde, nuvem, cavalo alado, tapete mágico
ou foguete interplanetário.
Não tem namorado quem não gosta de dormir agarrado, fazer cesta abraçado, fazer
compra junto. Não tem namorado quem não gosta de falar do próprio amor, nem de ficar
horas e horas olhando o mistério do outro dentro dos olhos dele, abobalhados de
alegria pela lucidez do amor. Não tem namorado quem não redescobre a criança própria
e a do amado e sai com ela para parques, fliperamas, beira d’agua, show do Milton
Nascimento, bosques enluarados, ruas de sonhos e musical da Metro.
Não tem namorado quem não tem música secreta com ele, quem não dedica livros,
quem não recorta artigos, quem não chateia com o fato de o seu bem ser paquerado. Não
tem namorado quem ama sem gostar; quem gosta sem curtir; quem curte sem aprofundar.
Não tem namorado quem nunca sentiu o gosto de ser lembrado de repente no fim de semana,
na madrugada ou meio-dia de sol em plena praia cheia de rivais. Não tem namorado quem
ama sem se dedicar; quem namora sem brincar; quem vive cheio de obrigações; quem faz
sexo sem esperar o outro ir junto com ele. Não tem namorado quem confunde solidão com
ficar sozinho e em paz. Não tem namorado quem não fala sozinho, não ri de si mesmo,
e quem tem medo de ser afetivo. Se você não tem namorado porque não descobriu que o amor
é alegre e você vive pesando duzentos quilos de grilos e de medo, ponha a saia mais leve,
aquela de chita, e passeie de mãos dadas com o ar. Enfeite-se com margaridas e ternuras,
e escove a alma com leves fricções de esperança. De alma escovada, e coração estouvado,
saia do quintal de si mesmo e descubra o próprio jardim. Acorde com gosto de caqui e
sorria lírios para quem passe debaixo da janela.
Ponha intenções de quermesse em seus olhos e beba licor de contos de fada. Ande como
se o chão estivesse repleto de sons de flauta e do céu descesse uam névoa de borboletas,
cada qual trazendo uma pérola falante a dizer frases sutis e palavras de galanteira: Se
você não tem namorado é porque ainda não enlouqueceu aquele pouquinho necessário a fazer
a vida parar e de repente parecer que faz sentido. Enlou-cresça.

Carlos Drummond de Andrade

Entradas Mais Antigas Anteriores

%d blogueiros gostam disto: